Assinatura do acordo de paz, Media Mais

Celebração do dia da paz é um momento para consolidação da unidade nacional, dizem líderes religiosos

Vânia Muchanga,

Líderes Religiosos exortam aos moçambicanos a fazerem da celebração da assinatura do Acordo Geral de Paz de Roma, um momento para a consolidação da unidade nacional.

Os líderes religiosos destacam o respeito e o diálogo como condições para construir uma sociedade mais justa, onde reina a paz e o respeito pelo próximo.

Falando esta sexta-feira (4 de Outubro), na Praça dos Heróis Moçambicanos, em Maputo, nas celebrações do 4 de Outubro, vários líderes religiosos apelaram aos moçambicanos para que respeitem o Acordo de Paz de Roma, como pressuposto para a consolidação da união entre irmãos.

O bispo Eduardo Sinalo, da igreja evangélica, defende que a luta pelo poder não pode pôr em causa a paz.

Por sua vez, o Reverendo Dinis Matsolo diz que a paz deve ser preservada em todos os pontos do país, em reconhecimento do esforço empreendido para o seu alcance.

Já o Bispo Paulo Muhai defende que o dia 4 de Outubro simboliza um momento de união e consolidação da unidade nacional, e os moçambicanos devem cultivar o amor pelo próximo.

Por seu turno, o Profeta Joe William afirma que sem união não é possível ter paz e todos os moçambicanos são chamados a preservar esse feito.

O Acordo Geral de Paz foi assinado em Roma, a 4 de Outubro de 1992, pelo então presidente de Moçambique, Joaquim Chissano, líder da RENAMO, Afonso Dhlakama, e por representantes dos mediadores, a Comunidade de Santo Egídio, da Itália, pondo fim a 16 anos de guerra civil.
 

Autores

Vânia MuchangaVânia Muchanga...