Mercado Malanga, Media Mais

Escasseiam no mercado Malanga espaços para reintegração de vendedores

Vânia Muchanga,

O mercado municipal da Malanga, na Cidade de Maputo, vai encerrar, temporariamente, na próxima semana, para a requalificação e reorganização, em prevenção da COVID-19.

Para as comissões dos vendedores formais e informais, a requalificação vai melhorar o ordenamento e higienização, em prevenção da COVID-19.

Entretanto, começam a escassear neste mercado, espaços para a reintegração de vendedores transferidos de outros mercados municipais já requalificados. 

Segundo José Umbisse, chefe da comissão de vendedores informais no mercado Malanga, antes da reintegração de vendedores da baixa da cidade de Maputo, o mercado tinha 250 bancas vazias, das quais perto de 200 já foram ocupadas. 

O alpendre do mercado informal da Malanga já está quase ocupado, limitando a recepção de novos vendedores.

José Umbisse explica que cerca de 10 vendedores do mercado Xipamanine foram reintegrados, em função do tipo de mercadorias que transacionam.

Por outro lado, o mercado Malanga está preparado para a requalificação e a comissão espera maior intervenção a nível sanitário e os vendedores aguardam com alguma ansiedade pela reorganização. 

O mercado formal da Malanga tem 140 bancas disponíveis, que estão a ser preenchidas por vendedores que desenvolviam as suas actividades em locais impróprios. 

Daniel Mahumane, chefe da comissão de vendedores formais, afirma que o mercado não vai acomodar novos vendedores, para dar espaço à reorganização, em prevenção da COVID-19.

Os vendedores que não foram reintegrados neste mercado vão ser encaminhados a outros mercados municipais.
 

Autores

Vânia MuchangaVânia Muchanga...