Paciente com Hérnia, South Sudan Medical Journal

Reduz número de casos de hérnias na Cidade de Maputo

Vânia Muchanga,

 Dados facultados pela Direcção de Saúde da Cidade de Maputo, indicam que pelo menos 622 pessoas foram diagnosticadas com hérnia em 2017, contra 826 casos registados no ano 2016, tendo assim se notado uma redução de casos em cerca de 204 casos.

Estes são dados da jurisdição da Cidade de Maputo, onde o Hospital Central de Maputo não faz parte e é composta pelos Hospitais Gerais de Mavalane, José Macamo, e Polana Caniço.

A nível de Cidade de Maputo não foram registados óbitos resultantes das hérnias, mas em 2017, dos 622 casos diagnosticados, respectivamente 270 e 352 foram registados no Hospital Geral José Macamo e Polana Caniço.  No ano anterior a este, 2016, dos 826 diagnósticos 516 casos foram registados em José Macaco, e 310 em Polana Caniço.

Segundo a Chefe de Departamento de Assistência Médica, Katia Morais englobam os diferentes tipos de hérnias como a Inguinal direita e indirecta, umbilical, Femoral, Epgástrica e Incisiva.

 Nos dois anos acima citados o Hospital Geral de Mavalane, por estar em processo de funcionalização e não possuir departamento cirúrgico, não teve registo de dados de pacientes diagnosticados com os diferentes tipos de hérnia.

“As hérnias afectam maioritariamente pessoas nos extremos das idades, podendo se desenvolver em menores idade em consequência de um defeito adquirido a nascença ou durante a gestação, em adultos por enfraquecimento de músculos”, explica Katia

 Falando de suas consequências, Katia diz que  a hérnia tratada pela única via, cirúrgica,  se não tratada pode culminar com o encarceramento ou estrangulamento de órgãos o que consequentemente  enfraquece os tecidos devido falta de sangue e oxigénio, e passado determinado tempo morrem ou entram em gangrena.

Autores

Vânia MuchangaVânia Muchanga...